Se você trabalha na área financeira de alguma empresa, provavelmente já se perdeu e/ou quebrou a cabeça no meio de tantos papeis e recibos dos colaboradores. Foi para facilitar essa demanda – até hoje muito manual –, que há quatro anos o empresário Murilo Thiele fundou em São Paulo a Expense Mobi, startup que tem, entre outros atrativos, a digitalização e automatização dos processos de gestão de despesas e reembolsos de colaboradores.

Com a tecnologia, os gestores conseguem acompanhar as despesas da equipe até pelo smartwatch. “É só fotografar a nota e os dados do consumo vão direto para o sistema. A inteligência da solução se encarrega de convertê-los em informações que abastecem o relatório gerencial e, ao final do período determinado, o valor a ser reembolsado já estará fechado”, explica Murilo.

O negócio é tão quente que a Expense Mobi é a primeira parceira Apple (MPP Mobility Partner Program) na América Latina e já conta com mais de 400 clientes, como Atlas Schindler, Mapfre e Algar. Desde agosto, faz parte da comunidade iDEXO e está em processo de integrar seus serviços às empresas associadas. Saiba mais:

Como surgiu a ideia da startup?

Foi em 2013, durante conversas com gestores financeiros de vários segmentos. Na época eu trabalhava com desenvolvimento de app sob demanda e interagia muito com pessoas do meio. Todos apontavam as mesmas dificuldades e problemas para controlar as despesas com colaboradores, principalmente com reembolso de quilometragem e viagens. Daí veio a ideia de desenvolver um sistema que resolvesse essas questões.

Lançamos a Expense Mobi em 2014 e, em 2015, captamos nossa primeira rodada de investimentos da Wappa. No ano passado, criamos o programa de parceiros “Expense Partners” para apoiar a expansão nacional e já temos o prazer de contar com empresas como iPlace e Edenred.

Em quatro anos de existência, nos tornamos líderes de mercado no país e a principal plataforma de gestão de reembolsos e despesas.

Quais são as soluções que vocês oferecem?

Entregamos cinco claros benefícios: automatização, compliance, gestão, mobilidade e sustentabilidade.

A gente possibilita não só o controle de diversos tipos de reembolso, como também integramos os serviços com cartões de crédito, cartões pré-pago, aplicativos de mobilidade, CRMs e ERPs. Essa inteligência gera uma redução de até 40% nas despesas, o que é um ótimo ativo para nossos clientes.

                

Por que apostaram no mercado B2B?

Várias características do modelo nos fizeram optar por este nicho. Um exemplo é a recorrência da receita – atuamos com B2B SaaS (software as a service), serviço na nuvem no qual o cliente paga um valor mensal para utilizar o produto.

Desta forma, temos previsibilidade, rentabilidade e escalabilidade do negócio. Fora que o ticket médio B2B é maior que o B2C, o que significa que é preciso uma menor quantidade de vendas para atingir o mesmo resultado. Outro ponto é que os clientes B2B costumam ser mais fiéis do que o consumidor final, uma vez que há um maior compromisso por conta dos contratos de fornecimento.

Mas, como nem tudo são flores, o processo de vendas B2B também é mais complexo e longo. É muito importante investir em relacionamento para converter o negócio.

Como enxerga o seu mercado atualmente?

Temos um potencial de crescimento muito grande, tanto no Brasil como na América Latina. Aos poucos as empresas estão tomando conhecimento de que é possível, sim, fazer a gestão de maneira muito mais simples, eficiente e tecnológica.

O nosso grande concorrente continua sendo o Excel, que é a ferramenta que praticamente todas as corporações utilizam para gerir os reembolsos da equipe.

 

Quais são os desafios que tem encontrado na área?

Os desafios de qualquer startup são os mesmos. Estamos sempre à beira do precipício – ou, se preferir, sempre na UTI. Essa temperatura nos faz acelerar sempre, mesmo temendo que talvez não consigamos fazer a curva no final do mês e encontremos o muro. Tudo o que está relacionado ao universo de startups anda intrinsecamente ao lado da incerteza.

 

Que tipo de integração procuram fazer para escalar o negócio?

As integrações são essenciais no nosso modelo. Hoje, estamos com os maiores ERPs do mercado, as maiores emissores de cartão de crédito e pré-pagos do Brasil, e aplicativos como 99, Wappa. Agora, com o iDEXO, queremos desenvolver integrações nativas com todos os ERPs TOTVS, o que vai facilitar a entrada de novos clientes e proporcionar um valor percebido muito maior.

 

Como tem sido a experiência no iDEXO?

Muito produtiva e em diversos aspectos, desde a troca de experiências do time de TI com as demais startups, com o time do iDEXO, e mesmo na aproximação que a iniciativa promove com as empresas associadas – algo que, aliás, já está gerando resultados para a Expense Mobi.

Estamos surfando a onda que o iDEXO proporciona dentro das nossas possibilidades. A entrega é muito legal, os eventos são sempre muito bem organizados e a aproximação com o mercado realmente acontece.

Você vai curtir também...

Assine a nossa newsletter!