Várias inovações de startups e grandes empresas destravadas com sucesso – e muitas por vir no próximo ano

Tivemos um ano intenso por aqui: abrimos oficialmente as portas do iDEXO, realizamos o primeiro batch com 15 startups, aprendemos um monte e, como muitos empreendedores por aí, demos uma leve pivotada na nossa ideia inicial. Deixamos de ser uma aceleradora de startups early-stage para acelerar negócios entre startups maduras e grandes empresas – que é, afinal, o que importa, né?

De agosto – quando começou a nova fase – até agora, bastante coisa aconteceu. Fãs de dados que somos, reunimos alguns números que mostram o que rolou aqui no iDEXO em 2018 (e alguns spoilers do que estamos preparando para 2019).

 

Três segmentos apareceram mais por aqui: fintech, backoffice e retail – o que faz muito sentido considerando que hoje temos três associados relevantes nestas áreas: TOTVS, Banco ABC e Soluti. Mas também cruzamos (muitas) oportunidades com outros setores:

 

Até o fechamento desse post, nossa comunidade era formada pelas startups da tabela abaixo. Tem negócios de São Paulo, Paraná, Piauí e até de Santiago, no Chile. Ah, e é bem provável que, dependendo do dia em que você lê este post, a lista já esteja desatualizada – recebemos praticamente uma nova startup por semana.

 

Da nova leva (que começou efetivamente há pouco mais de três meses), já conectamos concretamente sete startups a grandes empresas – entre parcerias, integrações e provas de conceito –, e várias outras estão a poucas etapas de assinar contratos.

Três bons exemplos que sintetizam nossa atuação: fizemos todo o business development para integrar a Liuv, fintech de pagamento mobile, ao TOTVS Chef, serviço para gestão de bares e restaurantes da TOTVS. A oportunidade vai escalar a startup para mais de 25 mil pontos de venda (cerca de 6 mil clientes) e agregar ainda mais valor à TOTVS. Já com a Vitrine, startup que centraliza o processo de visual merchandising, realizamos uma série de mentorias técnicas que resultaram na conquista da conta da C&A.

Outro caso é o da Trinity, startup de business intelligence que gera dados de desempenho e emite alertas na linha de produção. Eles já têm clientes grandes como Seara e Brasil Kirin, mas não estavam conseguindo entrar nas pequenas e médias por conta do alto custo do equipamento – os impostos de importação minam a margem de lucro. Para resolver este problema, acionamos nosso espaço maker e prototipamos, em apenas duas semanas, uma solução que reduz em cerca de 200% (!) os custos da tecnologia. Em 2019 teremos ainda mais protótipos e soluções de hardware saindo do forno 🙂

 

E como o nosso negócio é realizar conexões com resultados e gerar nota fiscal para startups e grandes empresas, recebemos corporações de peso no iDEXO (algumas delas acima). E por aqui não tem essas de só fazer tour, trocar cartões de visitas ou frases como a famigerada “a gente se fala”. Para que aproveitassem a oportunidade da melhor forma, organizamos sessões de pitches entre os executivos e empreendedores com muitas explicações, dados e, claro, perguntas.

Muitos destes encontros aconteceram durante os mais de 30 eventos que produzimos no iDEXO. Destaques para as edições do Contrafluxo, nosso evento mensal para discutir temas relevantes do ecossistema com grandes nomes. Falamos sobre corporate venture com Laércio Cosentino (fundador da TOTVS), a importância do modelo B2B com Eduardo Bernardes (Vice-Presidente da GOL Linhas Aéreas), a aplicação da tecnologia nos serviços da GOL com Paulo Palaia (CIO da companhia), e a importância das fintechs com Gustavo Machado (Superintendente de Inovação do Banco ABC), Mathias Fischer (Diretor de regulação da ABFintechs), Guga Stocco (CEO e fundador da GR1D), entre outros nomes.

Outra coisa legal que rolou foi que reunimos os CEOs das startups iDEXO e executivos das nossas empresas associadas em atividades de liderança, criatividade e inovação ministradas pela sueca Hyper Island, uma das principais escolas destes assuntos do mundo.

 

Também marcamos presença em alguns dos principais eventos externos do ecossistema, como o Web Summit (Lisboa, Portugal), CB Insights Transform (Nova York, EUA), RD Summit, em Florianópolis, Campus Party e o Fórum de Inovação Startup Indústria, em São Paulo – tem mais, mas já perdemos a conta.

Por essas e outras, tivemos nosso trabalho reconhecido na mídia nos maiores veículos de negócios do país. Só para citar alguns exemplos:

Não à toa, as inscrições de startups não param de chegar pelo formulário do nosso site. Já passamos de 300! Além do Brasil, tem negócios da Argentina e dos Estados Unidos querendo passar pela nossa jornada de business development. Estamos analisando todas com muito cuidado e procurando sinergia com os associados. Caso role uma oportunidade, chamamos para dentro. Olha só os segmentos que mais apareceram:

E esses foram alguns highlights do nosso ano. Considerando que pivotamos nosso modelo e começamos a nova proposta há poucos meses, todas as conquistas têm um peso ainda maior. Não há dúvidas de que há muito trabalho pela frente em 2019.

Já temos muitas startups previstas para entrar e corporações relevantes em conversas adiantadas para fazerem parte do iDEXO como associados. É como diz um dos nossos adesivos: menos espuma e mais nota fiscal. De blá blá blá o ecossistema já está cheio.

Estamos mais do que prontos para destravar a inovação de grandes empresas e startups e gerar negócios para os dois lados.

Fique ligado nos nossos próximos passos!

Pode vir, 2019!

Você vai curtir também...

Assine a nossa newsletter!