Por Fernando Souza

Originalmente publicado no Projeto Draft

“O futuro do pagamento é mobile”, diz João Quintella, CEO da Liuv, sem medo de errar. Criada em 2017, a fintech habilita o consumidor a pagar sua comanda de lanchonetes, padarias e restaurantes pelo próprio celular e, assim, driblar a clássica fila do caixa na hora do almoço.

A constatação de Quintella acaba de ganhar um respaldo de peso: em dezembro, a startup se tornou parceira da TOTVS, a maior empresa de tecnologia da América Latina. O contrato foi fechado durante jornada da Liuv no iDEXO, hub de inovação aberta e geração de negócios do qual a TOTVS é uma das empresas mantenedoras.

O objetivo da iniciativa, comandada por Juliano Seabra (ex-diretor geral da Endeavor), é acelerar a inovação de grandes empresas por meio de conexões concretas com startups.

“Aqui no iDEXO procuramos criar oportunidades reais de negócio entre startups e corporações. O produto da Liuv tem um fit evidente com os produtos da TOTVS para bares e restaurantes e vai aprimorar a oferta de valor para milhares de estabelecimentos. Nosso papel foi orquestrar os movimentos de integração de produto e modelagem da parceria entre os dois lados para ir a mercado em 3 meses – um tempo excelente”, diz Juliano.

Com a integração, a Liuv estará disponível para os mais de 6 mil clientes do TOTVS Chef, sistema de ERP da multinacional voltado para bares e restaurantes. Os estabelecimentos terão acesso à Liuv diretamente neste PDV, facilitando muito o caminho para a plataforma.

“Nosso canal de vendas é pequeno ainda, e não conseguimos acessar todos os que gostariam de ter a solução. A TOTVS vai massificar esse braço de vendas e agregar muito pra gente”, comemora Quintella.

O meio de pagamento da Liuv já é um Product Market Fit, ou seja, está pronto e gera valor para toda a cadeia. Pelo aplicativo, o usuário vai a um dos restaurantes aderentes e paga a conta com o celular de três possíveis maneiras: pela leitura do código de barras da comanda (tarefa que o app executa); ao comprar diretamente pelo aplicativo, sem comanda, o que gera um QR code no celular para ser lido na retirada do pedido (sistema chamado grab and go); e pelo sistema pre-order, em que o cliente também compra pelo smartphone, mas recebe uma notificação quando o pedido está pronto.

A startup é monetizada pela adesão (de R$ 3.000 a R$ 6.000) e mensalidade (R$ 300 a R$ 700) de restaurantes, lanchonetes e padarias – os valores variam com o tamanho do estabelecimento. Já os usuários ativos (hoje, cerca de 8 mil) são isentos de taxas e pagam as transações com o cartão de crédito ou o vale-alimentação cadastrado (Alelo, VR e TR).

Além do check-out automatizado, inovador e sem filas, outro benefício que o CEO da Liuv irá explanar para a equipe de vendas da TOTVS é o programa de fidelidade que livra o titular de perder aquelas infames cartelinhas de 10 carimbos.

“Elas também não são muito eficazes porque o restaurante não consegue registrar a assiduidade do cliente, e o usuário, por sua vez, não quer portar cartõezinhos dos 50 estabelecimentos em que ele almoça. Ao digitalizar o sistema de fidelidade, os dois lados passam a ter esses controles em um único lugar”, diz Quintella.

O terceiro pilar da Liuv são as promoções: 10% de desconto na lanchonete na volta às aulas, 10% de desconto no início de uma nova parceria, café grátis para quem comprar com o aplicativo, e por aí vai.

“Com as estatísticas do comportamento do usuário no sistema também é possível identificar preferências individuais e fazer ofertas personalizadas, como dar um refrigerante de cortesia no almoço”, exemplifica o CEO.

Para multiplicar as atuais 500 transações diárias e saltar de 8 pontos de venda para algumas dezenas já em 2019, um dos cuidados da Liuv foi desenvolver um software autoescalável, feito com as melhores práticas no mercado. “Quanto maior o nosso volume, mais dados ele está apto a processar”, diz Quintella.

“Nossa ideia não é facilitar dois ou três dias, mas a semana inteira. Para isso, precisamos dar opções ao usuário”, diz Quintella. “Depois que um cliente começa a usar a Liuv em um restaurante, a recorrência é de 100%, porque fica muito mais fácil você pedir e pagar sem precisar passar pelo caixa, sem precisar abrir a carteira, e sem ter nenhum custo para isso.”

Quintella sabe que a empresa ainda tem uma curva de aprendizado pela frente, mas vê o futuro próximo com muito otimismo.

“A experiência com a TOTVS vai melhorar o nosso modelo de vendas, a percepção que temos das dores dos clientes e o que o nosso produto pode agregar. Quanto mais escalamos, mais conseguimos entender o perfil de quem adere à Liuv.”

Você vai curtir também...

Assine a nossa newsletter!